fbpx
Notícias

Pearl Jam: integrantes relembram o medo do sucesso

Grupo completa 30 anos da sua estreia no mês de agosto

O disco de estreia do Pearl Jam, “Ten”, completa 30 anos de seu lançamento no mês de agosto de 2021. Aproveitando a data comemorativa, a revista Classic Rock entrevistou o vocalista Eddie Vedder e o guitarrista Mike McCready que compartilharam suas memórias da época.

Um dos tópicos da conversa foi o medo que os integrantes tinham do sucesso e a forma como eles escolheram lidar com isso. O grupo adotou uma postura de não participar de entrevistas, especiais de TV, turnês de estádio e uma série de outras atividades comuns a bandas de sucesso.

“Senti que, com mais popularidade, íamos ser esmagados, nossas cabeças estourariam como uvas”, lembrou o vocalista do Pearl Jam.

“Eu sabia que não era gracioso a maneira como estávamos lidando com isso. Ao mesmo tempo, é como ser gracioso em uma luta no beco. Você está apenas tentando sair de lá vivo. Nós nos abraçamos e ouvimos música”, acrescentou.

Conforme destacou a Classic Rock, “Ten” foi lançado no dia 27 de agosto de 1991, mas o estouro da banda aconteceu somente em meados de 1992, quando o clipe de “Jeremy”, o terceiro single do álbum, começou a rodar na MTV. Eddie Vedder chegou a dizer na época que a coisa “que está ficando grande demais rapidamente”.

Postura garantiu a longevidade do Pearl Jam

Na entrevista à Classic Rock, o guitarrista Mike McCready relembra como a exposição foi difícil para Eddie Vedder, a figura central da banda.

“A decisão de recuar e não fazer vídeos e desacelerar as entrevistas, foi tudo sobre Jeff e Stone e Ed pensando que era necessário. Ed estava recebendo muito mais escrutínio do que qualquer um. Provavelmente foi opressor para ele. Foi para todos nós na época”, disse.

O guitarrista admitiu que sua postura inicial era a de não recuar, pois o sucesso foi algo que eles sempre almejaram:

“Mas me lembro de não querer recuar, dizendo: ‘Isso é o que queríamos desde que éramos crianças. Vamos continuar fazendo isso. Vamos fazer vídeos, vamos continuar, vamos abraçar isso. Mas eles não gostavam. Eles disseram: ‘Não, precisamos, porque tudo isso vai desmoronar se não o fizermos’. E acho que eles estavam certos”.

Hoje o músico avalia como positiva a atitude na época e atribui a isso a longevidade do Pearl Jam:

“Eu sinto que ainda estamos por aí hoje, talvez por causa daquela primeira grande decisão de tentar fazer as coisas do nosso jeito. Tomamos muitas decisões que iam contra o que a gravadora queria que fizéssemos”.

Leia também:

2 comentários

Deixe uma resposta