Notícias

Simpsons apresenta caricatura de Morrissey e empresário responde

Episódio "Panic on the Streets of Springfield" foi ao ar neste domingo (18)

Inúmeros músicos e bandas já foram retratados em Os Simpsons. Smashing Pumpkins, Green Day, U2, Metallica são alguns, mas a lista é enorme. E agora foi a vez de Morrissey, ex-vocalista dos Smiths. Só que, diferentemente dos outros artistas citados, que são apresentados nominalmente no desenho, desta vez, o programa trouxe um personagem inspirado no cantor britânico e ele, aparentemente não gostou nenhum pouquinho do que assistiu. Entende o caso abaixo.

Com um episódio intitulado “Panic on the Streets of Springfield”, que faz referência ao verso “Panic on the Streets of London”, presentes na música “Panic”, lançada originalmente em 1986 no álbum “The World Won’t Listen”, dos Smiths, o programa apresentou o personagem Quilloughby, um cantor deprimido dos anos 80, uma caricatura do vocalista, que acaba se tornando amigo imaginário da personagem Lisa Simpson.

Leia também:

Simpsons apresenta caricatura de Morrissey e empresário responde
Foto: Simpsons/reprodução

Benedict Cumberbatch, o Dr. Estranho dos filmes da Marvel deu voz ao personagem que foi apresentado como misantrópico e xenófobo. E isso, aparentemente, acabou despertando críticas agressivas de Morrissey, por meio do seu empresário. A página do cantor no Facebook abordou o assunto em duas postagens assinadas por seu agente, Peter Katsis, uma delas realiza na madruga e outra na tarde desta segunda-feira (19). O texto afirma que o desenho animado está se rebaixando em busca de uma audiência perdida.

“Infelizmente, o programa de The Simpson começou criando um grande insight sobre a experiência cultural moderna, mas desde então degenerou para tentar capitalizar em controvérsias baratas e expor rumores cruéis”, trecho do primeiro texto.

“Zombar dos assuntos é uma coisa. Outros programas como o SNL ainda fazem um ótimo trabalho em encontrar maneiras de inspirar uma ótima sátira. Mas quando um show se rebaixa tanto para usar táticas odiosas, como mostrar o personagem Morrissey com a barriga para fora da camisa (quando ele nunca teve essa aparência em qualquer momento de sua carreira) faz você se perguntar quem é o verdadeiro grupo racista e nocivo é aqui”, continua o texto.

A segunda postagem foi direcionada ataques a veículos especializados em música como o Consequence Of Sound e Pitchfork. Peter Katsis, afirma que o texto é seu e não de Morrissey.

“Mais jornalismo de má qualidade da COS e da Pitchfork hoje. Eles atribuíram minha citação (sobre a escrita pobre de Os Simpson) a Morrissey, enquanto usavam fatos falsos para tentar apoiar histórias mais sem sentido”, diz um trecho

O texto conclui: “Alguém deveria dizer ao COS e ao Pitchfork isso é o que se chama de “jornalismo”. Nesse ínterim, ninguém sequer mencionou a horrível representação falsa de Morrissey usada pela equipe dos Simpsons”.

Leia também:

4 comentários

Deixe uma resposta