Listas Notícias

Por onde andam os artistas do Rock in Rio 3? – Parte 2

Em janeiro de 2021 completam-se 20 anos da terceira edição do Rock in Rio, realizada em 2001, 10 anos depois da segunda edição que aconteceu em 1991 e 16 anos após a edição de estreia do festival em 1985. O festival ficaria mais 10 anos sem acontecer até o seu retorno definitivo em 2011.

A edição de 2001 trouxe artistas que já haviam tocado nas edições anteriores como o Iron Maiden e o cantor James Taylor, por exemplo, e também muitos artistas que faziam sucesso naquela, como é o caso do Silverchair, ou artistas que estavam no seu auge como a Cassia Eller. Também contou com artistas revelação, caso do Papa Roach,e a volta do Guns N´ Roses depois de quase 6 anos sem shows.

Por onde andam os artistas do Rock in Rio 3? – Parte 2
Foto: Jornal O Globo/reprodução

Fatos que marcaram a edição 3

O festival aconteceu de 12 a 21 de janeiro de 2001, no seu local de origem, a Cidade do Rock, (o  Rock in Rio de 1991 aconteceu no Estádio Maracanã). O evento contou com 7 dias de shows distribuídos em dois finais de semana. Passaram, apenas pelo Palco Mundo, o palco principal, 42 artistas. Alguns fatos inusitados marcaram essa edição: o boicote realizado pelas bandas O Rappa, Cidade Negra, Raimundos, Charlie Brown Jr. Skank e Jota Quest, que questionavam o valor do cachê, a estrutura destinada aos artistas brasileiros, bem como os horários das apresentações. Outro fato marcante foi a prisão do baixista do Queens of the Stone AgeNick Olivieri, que tocou pelado até ser retirado do palco para que se vestisse. Ao final da apresentação ele foi preso pela polícia do Rio de Janeiro. Foi nesta edição, também, que o público assistiu cena lamentável em que roqueiros desmiolados atiraram garrafas no cantor Carlinhos Brown que tocou no mesmo dia que o Guns N´ Roses.

Leia também:

Por onde andam os artistas do Rock in Rio 3? – Parte 1

Steve Vai e Living Colour são confirmados no Rock in Rio 2021

Iron Maiden será headliner do “Dia do Metal” no Rock in Rio 2021

Retrato de época

O fato é que olhando em retrospecto, os line-ups do Rock in Rio funcionam como um registro da época em que cada uma das edições acontece. Muitos artistas consolidaram a sua carreira após tocar no festival e seguem fazendo sucesso enquanto outros desaparecem com o tempo. Pesando nisso, preparamos uma lista que será divulgada em 7 partes contando de forma breve por onde andam os artistas que tocaram nesta terceira edição do Rock in Rio, que contou a participação de 1 milhão e 200 mil pessoas, mais de 150 artistas que tocaram no Palco Mundo ou nas tendas Tenda Brasil, Tenda Raízes e Tenda Cultura e Arte.

Rock in Rio 2001 – Por onde andam? – Parte 2

A segunda parte da lista conta por onde andam os artistas que tocaram no segundo dia do Rock in Rio 3, realizado no dia 13 de janeiro, confira abaixo:

R.E.M

O show do Rock in Rio 3 foi a primeira vez da banda de Michael Stipe no Brasil. Eles fecharam a segunda noite com um show do novo álbum que sairia em maio, o ótimo “Reveal”, décimo segundo da carreira da banda, que foi puxado pelo single “Imitation of Life” e seu clipe gravado ao contrário. O R.E.M lançaria ainda “Around the Sun” (2004), “Accelerate” (2008) e “Collapse Into Now” (2011) e encerraria as suas atividades em 2011. Michael Stipe vira e mexe lança um novo single. No último ano ele lançou as músicas “Drive to the Ocean” e “No Time For Love Like Now”. No ano anterior, em 2019, ele já havia divulgado a canção “Your Capricious Soul”. O cantor apareceu recentemente na série Song Exploder explicando a canção “Losing My Religion”, canção do disco “Out of Time” de 1991.

Foo Fighters

Tornou-se uma das bandas maiores bandas do planeta desde então. Dave Grohl se tornou para muitos o “cara mais legal do rock”. A banda lançou no ano de seguinte o álbum “One By One” com as músicas “Times Like These” e “All My Life”. Nesse mesmo ano, ele tocaria bateria em todas as faixas de “Songs for the Deaf”, o terceiro álbum de estúdio do Queens of The Stone Age. A banda lançou nos últimos 20 anos 6 discos, um deles gravado na garagem da casa de Dave Grohl (“Wasting Light”, 2011) e outro registrado em 8 cidades diferentes (“Sonic Highways”, 2014). Esse último, inclusive, daria origem a uma série transmitida pela HBO. A banda voltou ao Brasil no Lollapalooza 2012 e fez turnê solo pelo país nos anos de 2015 e 2018. A última passagem da banda por aqui foi justamente no Rock in Rio, na edição de 2019. A banda lança do disco “Medicine At Midnight” no próximo dia 5 de fevereiro.

Beck

O cantor um cantor, compositor e multi-instrumentista estadunidense fez um show no festival calcado no seu disco lançado em 1999, “Turbe de Midnite Vultures”. Nos anos seguintes ele lançou mais 7 álbuns, o mais recente deles foi “Hyperspace” de 2019. Os discos do Beck costumam receber boas críticas da mídia especializada. Ele ganhou o Grammy de Melhor Álbum de 2015 por “Morning Phase”, desbancando ninguém menos que Beyoncé, a favorita daquele ano. A situação gerou polêmica na época, fãs da cantora invadiram a página de Beck no Wikipedia e o rapper Kayne West chegou a dizer que Beck deveria “respeitar a arte e entregar o prêmio para Beyoncé”. Recentemente o cantor gravou com o Gorillaz a música “The Valley of the Pagans” que está presente no novo trabalho do grupo virtual lançado em outubro do ano passado.

Barão Vermelho

Após o ótimo show no Rock in Rio 2001, a banda liderada por Roberto Frejat anunciaria uma pausa na sua carreira para que os seus integrantes de dedicassem a projetos paralelos. Frejat iniciaria uma bem-sucedida carreira solo com o disco solo “Amor Pra Recomeçar”, laçado naquele mesmo ano. Eles se reuniram em 2004 e gravaram um álbum homônimo que rendeu hits como “Cuidado” e “A Chave da Porta da Frente” e seguiram em turnê por mais dois anos até entrarem em hiato novamente. A banda chegou a lançar em 2007 um DVD com o seu show no primeiro Rock in Rio, ainda com Cazuza nos vocais. Fizeram uma turnê comemorativa de 30 anos em 2012 e em 2017, para a surpresa de todos, Frejat anunciou a sua saída do grupo. O Barão Vermelho recrutou o vocalista Rodrigo Suricato e lançou o disco “Viva” em 2019.

Fernanda Abreu

Sim, Fernanda Abreu cantou no mesmo dia que ícones do rock como R.E.M e Foo Fighters. O show foi baseado no disco “Entidade Urbana” que havia sido lançado no ano anterior. Desde então, a cantora lançou apenas 3 discos de estúdio, além de um MTV Ao Vivo. Ela chegou a ser jurada do programa X Factor Brasil em uma temporada e lançou também um livro infantil chamado “Meu Pequeno Vascaíno”. Seu trabalho mais recente foi “Amor em Geral” de 2016. O álbum rendeu um CD e DVD ao vivo intitulado “Amor Geral (a) Live”, que foi gravado sem plateia em 2020 e lançado no final do ano. Fernanda Abreu participou do Rock in Rio 2019 no Palco Sunset em uma apresentação comemorativa comemoração dos 30 anos do funk carioca e cantou juntamente com Ludmilla e Buchecha.

Cássia Eller

Cássia Eller fez um show memorável. Em março ela lançaria o seu Acústico MTV que fez um sucesso estrondoso e vendeu mais de 1 milhão de cópias. Infelizmente ela aproveitou pouco o sucesso, já que faleceu no dia 29 de dezembro do mesmo ano. Uma grande perda para o rock nacional. O disco póstumo “Dez de Dezembro” foi lançado em 2002. As músicas eram sobras “Com Você… Meu Mundo Ficaria Completo” de 1999.

5 comentários

Deixe uma resposta