fbpx
Notícias

Dave Mustaine, do Megadeth, comenta a decisão de demitir baixista por escândalo sexual 

David Ellefson foi demitido da banda no ano passado, depois que teve vídeo íntimo vazado

No ano passado, enquanto o Megadeth trabalhava em seu próximo disco de estúdio, “The Sick, the Dying… and the Dead!”, cujo lançamento está previsto para o dia 02 de setembro, o vocalista, guitarrista e líder Dave Mustaine viu a banda ser tragada para o centro de uma polêmica de assédio sexual, por conta do baixista David Ellefson, que foi acusado de seduzir uma menor de idade. 

O músico acabou sendo demitido e teve suas linhas de baixo para o novo disco apagadas. O baixista Steve Di Giorgio, do Testament, foi convocado para regravá-las, enquanto James LoMenzo assumiu, posteriormente, o posto deixado por David Ellefson. Em recente entrevista à revista Metal Hammer, Dave Mustaine comentou a decisão de demitir o antigo colega. 

“Eu também cometi erros e então sei como é ter pessoas atirando em você”, admite Dave. “Mas o que precisamos lembrar é que o Megadeth tem muitas partes móveis. Há quatro membros da banda, você tem suas famílias, suas empresas de gestão, as agências, todos os seus técnicos e assim por diante. Eu posso te dizer, eu tomei decisões no passado que foram prejudiciais para a segurança da banda, e eu sei o mal que isso causou. Mas não quero dizer nada sobre quem é incapaz de se defender. Deus, é tão difícil sapatear em torno disso…”

O músico explicou que sentiu, na posição de líder, a necessidade de tomar uma decisão que preservasse a banda e todos ao seu entorno, e que isso não foi fácil. “Foi uma decisão difícil que teve que ser tomada. Havia muitas pessoas envolvidas e eu tive que tomar uma decisão, porque, infelizmente, quando você é o líder, é você que tem que aguentar e encarar a música. Tudo o que eu queria fazer era fazer uma pausa limpa, e não machucar ninguém, não machucar os fãs e não machucá-lo.”

Leia também:

Deixe uma resposta