Artigo Notícias

As mulheres, o rock, o Grammy, indicações e vitórias

Mulheres sempre foram minoria nas categorias destinadas ao Rock

No último domingo (14) aconteceu a cerimônia de premiação do Grammy Awards 2021 que inicialmente aconteceria em janeiro, mas teve a sua data adiada por causa da pandemia. O evento mais importante da indústria música aconteceu em um período que muitos consideram como mês da mulher por causa do Dia Internacional da Mulher, celebrado no dia 8 de março.

Isso nos remete um fato importante da cerimônia deste ano para os fãs de Rock: pela primeira vez as indicações da categoria Melhor Performance de Rock são todas femininas, além de serem favoritas em outras categorias destinadas ao gênero.

Confira as indicadas ao prêmio de Melhor Performance de Rock no Grammy 2021:

  • “Shameika” — Fiona Apple
  • “Not” — Big Thief
  • “Kyoto” — Phoebe Bridgers
  • “The Steps” — HAIM
  • “Stay High” — Brittany Howard
  • “Daylight” — Grace Potter

As mulheres também são maioria na categoria Melhor Música de Rock. Confira a lista abaixo:

  • “Kyoto” – Phoebe Bridgers
  • “Lost in Yesterday” – Tame Impala
  • “Not” – Big Thief
  • “Shameika” — Fiona Apple
  • “Stay High” — Brittany Howard
As mulheres, o rock e o Grammy
Foto: Phoebe Bridgers é uma das favoritas de 2021

A mulheres também aparecem nas categorias Melhor Performance de Metal (“The In-Between” da banda In This Moment e “Bloodmoney” do grupo Poppy), Melhor Álbum de Rock (“Daylight” da Grace Potter) e Melhor Álbum de Música Alternativa (“Fetch the Bolt Cutters” da Fiona Apple; “Punisher” da Phoebe Bridgers e “Jaime” da Brittany Howard).

No Grammy 2021, as mulheres acabaram levando 3 das 5 categorias destinadas ao Rock: Fiona Apple – “Shameika” (Melhor Performance de Rock), Brittany Howard – “Stay High” (Melhor Música de Rock) e
“Fetch the Bolt Cutters” — Fiona Apple (Melhor Álbum de Rock).

Leia também:

The Weeknd alfineta Grammy em novo clipe
Fiona Apple é destaque nas principais listas de melhores discos do ano

Mas afinal, qual é de fato o histórico das mulheres nas categorias de Rock ao longo da história do Grammy?

Bom, para começar é preciso observar que tais categorias nem sempre existiram na premiação que acontece anualmente desde 1958. As primeiras categorias especificas de Rock foram criadas na a partir da 1980, são elas:

  • Melhor Performance Feminina de Rock (1980 a 2004)
  • Melhor Performance Masculina de Rock (1980 a 2004)
  • Melhor Performance Solo de Rock (1988 a 2011)
  • Melhor Performance de Rock por Dupla ou Grupo (1980 a 2011)
  • Melhor Performance Instrumental de Rock (1980 a 2011)
  • Melhor Performance de Hard Rock / Metal Vocal ou Instrumental (Apenas em 1989)
  • Melhor Performance de Hard Rock (1990 a 2011)
  • Melhor Performance de Hard Rock/Metal (2012 a 2013)

A maioria das categorias criadas inicialmente foram extintas em 2011, quando a Recording Academy (instituição responsável pelo Grammy Awards) resolveu fazer uma reformulação.

Como pode-se observar na lista de categorias, a premiação já contou com duas categorias separadas por gênero (Masculino e Feminino) que foram unificadas em 2004, algo que gerou polêmica na época e recebeu críticas de vários artistas. Artistas como Sheryl Crow, Tina Turner e Pat Benatar foram as maiores vencedoras nesta categoria durante a sua existência.

As mulheres, o rock e o Grammy
Foto: Shreyl Crow ganhou 9 prêmios, incluindo dois de Melhor Álbum de Rock

Atualmente, o Grammy conta com 4 categoria destinadas ao estilo, são elas: Melhor Performance de Rock, Melhor Performance de Metal, Melhor Música de Rock, Melhor Álbum de Rock e Melhor Álbum de Música Alternativa.

Essa última foi criada em 1991 para premiar artistas de Rock que não eram considerados mainstream e estes sempre lideraram as indicações dessa categoria. Por esse motivo, ela pode ser considerada uma categoria de Rock.

Considerando todas as categorias de Rock atuais e extintas do Grammy, excluindo as duas especificas de gênero (Melhor Performance Feminina de Rock e Melhor Performance Masculina de Rock), as mulheres ou bandas de Rock lideradas por mulheres venceram apenas 21 vezes nos últimos 40 anos.

Apesar do baixo número de vitórias, as mulheres ou grupos liderados por mulheres receberam 83 indicações no período nessas categorias no período. Chama atenção, por exemplo, o número de indicações na categoria Melhor Álbum de Música Alternativa: 30, desde a sua criação em 1992. O aproveitamento nesta categoria foi de 3 vitórias em 30 anos.

Vale ressaltar que esse é o número bruto, ou seja, a soma de todas as mulheres indicadas nas categorias. Em alguns anos cada categoria teve mais de uma mulher indicada, em vários outros não houve nenhuma indicação.

Obviamente, não faz sentido comparar o número de indicações com o número de vitórias, já que o prêmio para uma categoria é entregue a apenas uma das indicações. Mas os dados mostram que o número de mulheres produzindo Rock que atende aos parâmetros da Recording Academy é grande, enquanto o número de vitórias é pequeno.

Apesar de ter categorias destinadas ao Rock, artistas do estilo também podem concorrer nas categorias principais do Grammy, são elas: Artista do Ano, Álbum do Ano, Canção do Ano e Artista Revelação do Ano. Desde a criação do Grammy e das respectivas categorias 12 mulheres venceram e 44 foram indicadas nesse categorias.

As mulheres, o rock e o Grammy
Foto: Alanis Morissette ganhou o prêmio de Álbum do Ano em 1996 por “Jagged Little Pill”, seu disco de estreia

Leia também:

Fiona Apple quer boicotar Grammy 2021
The Weeknd critica Grammy por não ter sido indicado

Confira abaixo a lista de vencedoras por categoria:

Melhor Álbum de Rock (categoria criada em 1995)

  • Alanis Morissette – Jagged Little Pill (1996)
  • Sheryl Crow – Sheryl Crow (1997)
  • Sheryl Crow – The Globe Sessions (1999)

Melhor Canção de Rock (categoria criada em 1992)

  • Alanis Morissette – “You Oughta Know” (1996)
  • Tracy Chapman – “Give Me One Reason” (1997)
  • Alanis Morissette – “Uninvited” (1999)
  • Paramore – “Ain’t It Fun” (2015)
  • Alabama Shakes – “Don’t Wanna Fight” (2016)
  • St. Vincent – “Masseduction” (2019)
  • Melhor Performance de Rock
  • Alabama Shakes – Don’t Wanna Fight” (2016)

Melhor Performance Solo de Rock (1988 a 2011)

  • Bonnie Raitt  – Luck of the Draw (1992)

Melhor Performance de Rock por Dupla ou Grupo com Vocal (1980 a 2011)

  • Eurythmics – “Missionary Man” (1987)
  • Bonnie Raitt e Delbert McClinton – “Good Man, Good Woman” (1992)

Melhor Álbum de Música Alternativa (Criada em 1991)

  • Sinéad O’Connor – I Do Not Want What I Haven’t Got (1991)
  • St. Vincent – St. Vincent (2015)
  • Alabama Shakes – Sound & Color (2016)

Melhor Performance de Hard Rock (1990 a 2011)

  • Evanescence – Bring to Life (2004)

Melhor Álbum do Ano (Criada em 1958)

  • Bonnie Raitt – Nick of Time (1990)
  • Natalie Cole – Unforgettable… with Love (1992)
  • Alanis Morissette – Jagged Little Pill (1996)

Canção do Ano (Criada em 1958)

  • Tina Turne – “What’s Love Got to Do with It” (1985)
  • Linda Ronstadt e James Ingram – “Somewhere Out There” (1988)
  • Natalie Cole com Nat King Cole – “Unforgettable” (1992)

Artista Revelação (criada em 1960)

  • Carly Simon (1972)
  • Natalie Cole (1976)
  • Cyndi Lauper (1985)
  • Evanescence (2004)

Gravação do Ano (Criada em 1958)

  • Kim Carnes – “Bette Davis Eyes” (1982)
  • Tina Turner – “What’s Love Got to Do with It” (1985)
  • Sheryl Crow – “All I Wanna Do” (1995)

6 comentários

Deixe uma resposta